sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Happy New Year


Feliz ano de 2012... apesar de tudo!...

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Mary Poppins - Supercalifragilisticexpialidocious



Um dos filmes da minha infância que costumava dar por altura do Natal...

domingo, 18 de dezembro de 2011

Sodade... Sempre!




Cesária Évora (Mindelo, 27 de agosto de 1941 — Mindelo, 17 de Dezembro de 2011), também conhecida como «a diva dos pés descalços», foi a cantora de maior reconhecimento internacional de toda história da música popular cabo-verdiana. Apesar de ser sucedida em diversos outros géneros musicais, Cesária Évora foi maioritariamente relacionada com amorna, por isso também foi por vezes apelidada "rainha da morna".
Cesária Évora (1941 - 2011) na cidade de Mindelo, em Cabo Verde. Tinha mais quatro irmãos. O seu pai Justino da Cruz tocava cavaquinho, violão e violino. Quando jovem foi viver com sua avó, que havia sido educada por freiras, e assim acabou passando por uma experiência que a ensinou a desprezar a moralidade excessivamente severa.
Entre os seus amigos estava B. Leza, o compositor favorito dos cabo-verdianos, que faleceu quando ela tinha apenas sete anos de idade. Desde cedo, Cise, como era conhecida pelos amigos, começou a cantar e a fazer actuações aos domingos na praça principal da sua cidade, acompanhada pelo seu irmão Lela, no saxofone. Mas a sua vida está intrinsecamente ligada ao bairro do Lombo, nas imediações do quartel do exército português, onde cantou com compositores como Gregório Gonçalves. Aos 16 anos, Cesária começou a cantar em bares e hotéis e, com a ajuda de alguns músicos locais, ganhou maior notoriedade em Cabo Verde, sendo proclamada a "Rainha da Morna" pelos seus fãs.
Aos vinte anos foi convidada a trabalhar como cantora para o Congelo - companhia de pesca criada por capital local e português -, recebendo conforme as actuações que fazia. Em 1975, ano em que Cabo Verde adquiriu a independência, Cesária, frustrada por questões pessoais e financeiras, aliados à dificuldade económica e política do jovem país, deixou de cantar para sustentar sua família. Durante este período, que se prolongou por dez anos, Cesária teve de lutar contra o alcoolismo. Igualmente, Cesária chamou a esse período de tempo, os seus Dark Years.
Encorajada por Bana (cantor e empresário cabo-verdiano radicado em Portugal), Cesária Évora voltou a cantar, actuando em Portugal. Em Cabo Verde um francês chamado José da Silva persuadiu-a a ir para Paris e lá acabou por gravar um novo álbum em 1988 "La diva aux pied nus" (a diva dos pés descalços) - que é como se apresenta nos palcos. Este álbum foi aclamado pela crítica, levando-a a iniciar a gravação do álbum "Miss Perfumado" em 1992. Desde então fixou residência na capital francesa. Cesária tornou-se uma estrela internacional aos 47 anos de idade.
Em 2004 conquistou um prémio Grammy de melhor álbum de world music contemporânea. O presidente francês, Nicolas Sarkozy, distinguiu-a, em 2009, com a medalha da Legião de Honraentregue pela ministra da Cultura francesa Christine Albanel.
Em Setembro de 2011, depois de cancelar um conjunto de concertos por se encontrar muito debilitada, a sua editora, Lusafrica, anunciou que a cantora pôs um ponto final na sua longa carreira.
Veio a falecer no dia 17 de Dezembro de 2011, com 70 anos, por "insuficiência cardiorrespiratória aguda e tensão cardíaca elevada".

retirado da Wikipédia.

domingo, 11 de dezembro de 2011

Up where we belong




Who knows what tomorrow brings
in a world few hearts survive
All I know is the way I feel
when it's real I keep it alive the road is long
There are mountains in our way
but we climb the stairway every day



Love lifts us up where we belong
where the eagles cry on a mountain high
love lifts us up where we belong
far from the world below up where the clear winds blow



Some hang on to used to be
live their lives looking behind
All we have is here and now
all our lives out there to find
The road is long and there are moutains in our way
but we climb the stairway every day



Love lifts us up where we belong
where the eagles cry on a mountain high
love lifts us up where we belong
far from the world we know
where the clear wind blows



Time goes by no time cry
life's you and I alive



Love lifts us up where we belong
where the eagles cry on a mountain high
love lifts us up where we belong
far from the world we know
where the clear winds blow



Love lifts us up where we belong
far from the world we know
where the clear winds blow



Love lifts us up where we belong
where the eagles cry on a mountain high

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

terça-feira, 30 de agosto de 2011

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

surfin usa


Não vou "surfar" mas vou para uma zona onde há muitos surfistas!...
Até Setembro!...

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

quinta-feira, 28 de julho de 2011

terça-feira, 26 de julho de 2011

domingo, 24 de julho de 2011

quinta-feira, 16 de junho de 2011

sábado, 21 de maio de 2011

Morning has broken - 1976.



Steven Demetre Giorgiou, mais conhecido como Cat Stevens, outro astro brilhante do folk rock, nasceu em Londres, filho de um casal interessante culturalmente: pai grego e mãe sueca, ele começou a carreira musical ainda no colégio, em 1965. Suas primeiras performances foram no Hammersmith College, com o nome artístico de Stevie Adams. Numa de suas apresentações foi ouvido pelo produtor musical Mike Hurst, e convidado a ir ao estúdio para gravar a música, 'I Love My Dog'. Essa demo resultou no primeiro contrato com a Decca Records, já com o nome Cat Stevens. Em 1966, a canção entrou para a parada inglesa, entre as 40 melhores da época.


Seu próximo single, 'Matthew and Son', foi lançado em janeiro de 1967, e ficou em segundo na Inglaterra, também fezendo algum sucesso nos EUA.

A fama de Stevens como compositor também ficava conhecida, 'Here Comes My Baby', que foi gravada pelos The Tremeloes, chegou ao Top Five na Inglaterra e entre as dez melhores nos EUA. Logo em seguida ele decidiu produzir seu primeiro álbum Matthew and Son, que foi seu primeiro passo para um lugar entre os dez melhores no mesmo ano.

O quarto single, 'A Bad Night', de agosto de 1967, ficou entre as 20 do ranking das mais ouvidas, um lugar não tão bom, se comparado aos sucessos anteriores. Seguindo a linha, o segundo álbum, New Masters, lançado no final do mesmo ano, não foi nada bem. Para piorar toda a situação, em março de 1968, Cat ficou doente, estava com tuberculose. O cantor ficou internado por três meses, e levou um ano para se recuperar totalmente.

Voltou a produzir em 1970 e como sentia-se completamente desiludido com o corporativismo do mercado artístico, suas composições refletiam um som mais introspectivo e personalizado, assinou contrato com a Island Records, e lançou seu terceiro álbum, Mona Bone Jakon, em abril de 1970. Junto com o álbum, Stevens lançou o single 'Lady D'Arbanville', que em junho de 70, tornou-se top 3 na Inglaterra, obtendo mais sucesso do que havia conquistado com Mona Bone...

O talento para compor, felizmente não tinha sido abalado pelos altos e baixos pelos quais passou. Em agosto de 70, o cantor de reggae Jimmy Cliff, gravou 'Wild World', música de Stevens que ficou entre as 10 melhores na Inglaterra. Sentindo-se mais confiante, ele lançou o segundo álbum pela nova gravadora em novembro do mesmo ano, Tea for the Tillerman, que ficou no Top 20 inglês, e americano de 1971, seu ano de lançamento. A partir deste ano, Cat se transformaria em uma estrela. Já figurava entre um dos cantores/compositores, mais populares de folk-rock da época, entre James Taylor, Carole King e outros.

Em junho de 1971, outro single, 'Moon Shadow', foi Top 40 nos dois países, seguido por 'Peace Train', que ficou entre as mais ouvidas nos Estados Unidos. A popularidade turbinou a divulgação do quinto álbum de sua carreira Teaser and the Firecat, logo se tornou recordista de vendas.

O álbum contém, além de 'Peace Train' e 'Moon Shadow', 'Morning has Broken', canção que fez de Stevens um artista de renome mundial. Na rabeira, chegava às lojas, a coletânea Very Young and Early songs, ainda em 71. Em janeiro de 1972, o single 'Where are You', já era o mais ouvido dos EUA.

Em novembro de 1972, o sexto álbum, Catch Bull at Four, com um toque mais rock e comercial, logo chegou às paradas. No ano seguinte, o caminho estava mais do que livre para que Cat fizesse ainda mais sucesso, mas, além de não estar muito bem de saúde, estava em dívida com o fisco.

Mudou-se para o Brasil por um ano. Resolveu doar o dinheiro que devia em impostos para caridade. Ele aparecia cada vez menos na mídia e deixou de dar entrevistas. Em junho, outro single 'Hurt', figurou no Top 40, e em agosto, estava pronto seu sétimo álbum, Foreigner. Foi um sucesso comercial maciço, que chegou ao Top 5 na América e na Inglaterra ganhou disco de ouro, logo de cara de cara.

Seu oitavo álbum, veio em 1974, com título intrigante: Buddah and the Chocolate Box (Buda e a caixa de chocolates), o disco foi um Top Ten hit como de costume. Em junho de 75, mais um disco - Greatest Hits, vendeu mais de 3 milhões de cópias somente nos EUA. O nono álbum, Numbers, ficou pronto em novembro, e, inexplicavelmente, o sucesso ficou pra trás novamente.

O trabalho seguinte, demorou 18 meses, em maio de 1977, com décimo álbum, Izitso, ele recuperou o sucesso comercial, chegando ao disco de ouro em apenas um mês. Enquanto isso, na Grã-Bretanha, o single '(Remenber the Days of The) Old School Yard', era um dos hits, que também foi Top 40 nos Estados Unidos.

No dia 23 de dezembro de 1977, como resultado do que pareceu uma decisão pensada há tempos, devido aos acontecimentos de sua vida e uma necessidade pessoal, Stevens se tornou oficialmente muçulmano e mudou o nome para Yusuf Islam. Depois da mudança radical, Yusuf lançou seu último álbum, Back to Earth, em dezembro de 1978, que teve uma vendagem modesta. Ele se retirou do mercado da música pop, se dedicou a um casamento arranjado na nova religião, e teve cinco filhos. Destitui-se de todos os seus bens, e fundou uma escola muçulmana perto de Londres. Ninguém ouviu falar do "habib" por cerca de dez anos, quando ele reaparece, chocando seus antigos fãs, no final de década de 80. Na época ele levantou muita polêmica ao apoiar abertamente a pena de morte imputada ao escritor Salman Rushdie, pelo livro Versículos Satânicos uma crítica ácida ao islamismo. Quem havia pedido a cabeça de Salman na época, foi o líder islâmicoAyatollah Khomeini.

É claro que, com isso, Cat, ou melhor, Yusuf ganhou antipatia de algumas rádios que passaram a boicotar a obra do artista. Até outras bandas, que haviam regravado sucessos do cantor sofreram com sua posição. Os 10 Thousand Maniacs, que gravaram 'Peace Train' de autoria de Stevens, viram-se obrigados a apagar a música de seu disco de 1987, My Tribe, por exemplo. Yussuf reclamou, dizendo que suas declarações foram manipuladas pela mídia, mas não adiantou muito.

Mesmo assim, suas canções ainda continuavam populares, principalmente as da época pré-islamismo.

Em 1990, a compilação, The Very Best of Cat Stevens, ficou em quinto lugar na Inglaterra. Em 2000, Yussuf Islam, fez uma turnê, tocando antigos sucesso da época de Stevens e algumas músicas novas.

Por Giseli Miliozi


Website: http://www.yusufislam.org.uk/



sábado, 30 de abril de 2011

domingo, 17 de abril de 2011

The Sound of silence


The Sound Of Silence

Composição : Paul Simon

Hello darkness, my old friend,
I've come to talk with you again,
Because a vision softly creeping,
Left its seeds while I was sleeping,
And the vision that was planted in my brain
Still remains
Within the sound of silence.

In restless dreams I walked alone
Narrow streets of cobblestone,
'Neath the halo of a street lamp,
I turned my collar to the cold and damp
When my eyes were stabbed by the flash of a neon light
That split the night
And touched the sound of silence.

And in the naked light I saw
Ten thousand people, maybe more.
People talking without speaking,
People hearing without listening,
People writing songs that voices never share
And no one dared
Disturb the sound of silence.

"Fools" said I, "You do not know"
Silence like a cancer grows.
Hear my words that I might teach you,
Take my arms that I might reach you."
But my words like silent raindrops fell,
And echoed
In the wells of silence

And the people bowed and prayed
To the neon god they made.
And the sign flashed out its warning,
In the words that it was forming.
And the sign said, "The words of the prophets are written on the subway walls
And tenement halls."
And whisper'd in the sounds of silence.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Cristina


Roquivários foi uma banda de rock Portugal do início da década de 1980. Formou-se em 1981 e encerrou suas atividades pouco tempo depois. Teve como seu maior hit a canção Cristina (Beleza é Fundamental).
A banda era formada por Midus (Voz e Baixo), Mário Gramaço, (Saxofone e Voz), Rabanal (Bateria), Luís Jorge Loução (Guitarra) e Paulo Corval (Baixo).

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Gipsy Reggae




Kumpania Algazarra é uma banda portuguesa de música folk, com inspirações nas músicas cigana, ska e dos balcãs.


domingo, 27 de março de 2011

Dança Do Desprazer


Alinhar ao centro

Formado em finais de 2006 e com estreia em palcos na noite de 10 de março 2007, os Melech Mechaya são uma banda portuguesa de música klezmer, sendo geralmente referenciados como sendo a primeira banda deste género em Portugal. Notabilizando-se pelos seus concertos festivos e interactivos, a banda toca de Norte a Sul do país logo no ano de estreia, actuando em eventos como a Festa do Avante! No Seixal e no Festival de Músicas do Mundo Etnias no Porto, e assina contrato de agenciamento e management com a Smog.
Em 2008 os Melech Mechaya vão para estúdio gravar o seu primeiro registo fonográfico, o EP homónimo lançado dia 5 de Junho no Cabaret Maxime em Lisboa, e a sua digressão de mais de 30 concertos passa pelo Festival de Músicas do Mundo "Ritmus" em Ponta Delgada e por 3 festivais em Espanha - Allariz, Santiago de Compostela e no Festival de Músicas do Mundo de Vilagarcia de Arousa .
Em 2009 voltam a estúdio para gravar o seu primeiro longa-duração, "Budja Ba", e assinam contrato de edição discográfica com a Ovação. O disco é lançado dia 13 de Junho no Teatro A Comuna e a banda recebe alguma atenção mediática, com diversos artigos e em entrevistas em rádios, imprensa e televisão. A digressão leva as festas mechaya a importantes palcos como o Festival de Músicas do Mundo de Sines e o festival Špancirfest na Croácia.
As festas de Melech Mechaya nestes 3 anos, cerca de 100 ao todo em Portugal, Espanha e Croácia, tiveram ainda lugar nos mais diversos teatros e auditórios (Guimarães, Gouveia, Guarda, Vila Real, Alcochete, Portalegre, Almada, Palmela, Estarreja, Rio Maior, Aveiro, São João da Madeira, Sines, Aula Magna em Lisboa, etc.), praças ao ar livre e festas populares (Tavira, Moita, Alhos Vedros, Lavradio, Almada, Leiria, Ponta Delgada, Nelas, Carrazeda de Ansiães, Torres Novas, Foz Côa, Arruda dos Vinhos, Caldas da Rainha, Lourinhã, Almeida, etc.) e vários festivais (Andanças, Traçadinho, Granitos Folk, Festa do Cinema Francês, Festival Todos, Feira do Artesanato, Planície Mediterrânica, Feira da Luz, etc.).

domingo, 20 de março de 2011

Peça para guitarra portuguesa



Henrique & Sinfonia é projecto musical iniciado no ano de 1997 por Henrique Borges. A história deste grupo começa quando Henrique (após vários anos de estudo de guitarra clássica e eléctrica) se apercebeu das potencialidades da guitarra portuguesa. Resolveu então modificar o classicismo com que usualmente é tocada e introduziu-lhe técnicas como glissandos, percussão, bends, electrificando-a de forma a dar-lhe uma maior evidência. Houve depois que matizar essa mesma guitarra com outros instrumentos e após algum tempo de procura pelos conservatórios, escolas de música e orquestras surgem os Sinfonia.



domingo, 13 de março de 2011

Sem Eira nem Beira.





Fotos da manifestação da "Geração à rasca" de 12 de Março de 2011.
Cerca de 200 mil pessoas... só em Lisboa.

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Leva-me a dançar.



O início da banda remonta ao ano de 1987 e a uma garagem em Cascais. Os elementos da banda são Olavo Bilac (voz), Pedro Cunha (bateria), Pascoal Simões (teclas), Artur Santos (baixo) e Rui Martins (metais). Pedro Almeida (guitarra) entrou para a banda em 1992. O primeiro álbum da banda foi Onde Estás?, editado este em 1995. O disco contou com a participação do músico Rui Fadigas e da apresentadora Catarina Furtado. O disco foi um grande sucesso graças à balada "Não voltarei a ser fiel". O disco Love? foi produzido por Carlos Maria Trindade. 1997 é o ano de Tu disco gravado ao Vivo no Paradise Garage com participação de Marta Dias, Kika Santos e Paulo Gonzo. O álbum Voar é editado em 1999. Em 2001 lançaram Horas de Prazer. A compilação Os Primeiros 10 Anos foi editada em 2003, com três temas inéditos: "Ondas", "Um Por Todos" e "Perdas". Depois de uma pausa o grupo regressou em 2006 com o álbum Acção-Reacção. Em 2008 disponibilizaram para "download" na página oficial o disco Livre Trânsito com novas versões dos seus maiores sucessos. Dez temas gravados ao vivo e em formato acústico. Em 2009, à meia-noite de 16 de Fevereiro, Uma segunda-feira, foi lançado mais um álbum de nome Caixa dos Segredos, uma compilação com dois inéditos ("Caixa dos Segredos" e "Perdido Estou"). Em edição simultânea, para além do CD, um DVD com documentário, uma galeria de fotos, um concerto acústico e vários vídeos. Em 2010 regressaram com novo álbum de originais: Energia.
Fonte:Wikipédia

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Se eu voltasse atrás


A banda foi fundada em 1992 na região de Belas, concelho de Sintra. Em 1995, a banda publicou o seu primeiro disco intitulado Expedição, da qual fazem parte os primeiros sucessos da banda como: Lisboa, Grito, etc. Em 1996, a banda publicou o disco Aprender a Ser Feliz, um dos seus títulos mais emblemáticos, despertando uma imensidão de fans pelo país. Em 1999 gravou o terceiro álbum de originais com o título Longe, culminado como uma das melhores fases da banda, em que já se depertava o interesse do público e das editoras. Em 2000, publicaram um disco ao vivo com todos os sucessos da banda até esse ano, num concerto ao vivo na Aula Magna, em Lisboa. Em 2002, o grupo lançou o álbum Jogo da Vida, sendo "Pura Inocência" a canção de maior destaque, tendo sido bandas sonora numa novela da TVI, intitulada Saber Amar. Em 2005 publicou o álbum Deixa o Mundo Girar, considerado por muitos críticos como o melhor da banda e com uma carga mais rock que os anteriores. Deste álbum foram extraídos três singles: o título homónimo, Deixa o Mundo Girar (canção), A Dança e Pele (canção) todos com grande sucesso, tendo feito parte de bandas sonoras de várias telenovelas. Em 11 de Junho de 2007 foi reeditado o álbum Deixa o Mundo Girar, publicado em dois CD incluindo o primeiro as dez faixas integrantes no original de 2005 e o segundo as cinco canções que o grupo interpretou ao vivo no dia 13 de Abril de 2007 no auditório da RFM num mini-concerto. Em Abril de 2008, foi publicado o álbum 15 Anos, uma coletânea dos seus maiores êxitos e dois originais.



font: wikipédia

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Estou na Lua

Os Lunáticos foi uma banda portuguesa de música pop, formada e extinta na década de 1990. O núcleo da banda era composto por Alex Santos (produtor e teclista), Miguel Dionísio e Manuel Pereira (vocalistas). A canção mais famosa deste grupo foi o single "Estou na Lua" lançado em 1995. Foi uma música muito badalada no contexto pop português, chegando a ser cantada por Fernando Rocha (na altura desconhecido) no programa Cantigas da Rua. Fernando Rocha acabou por ganhar um programa de humor.

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Zuvi Zeva Novi



Mler Ife Dada, banda portuguesa formada em Cascais, em 1984 por Nuno Rebelo, Augusto França, Pedro D'Orey e Kim(Joaquim Pais de Oliveira, Kim era o seu nome artístico). Em 1986 Pedro D'Orey foi substituído por Anabela Duarte.